27 de junho de 2008

Para as paredes:

São dúvidas e dúvidas e dúvidas e elas gritam no meu ouvido ou talvez dentro de minha cabeça. Eu nem sei mais distingüir o que é real do que é fantasia neurose mania de perseguição. Porque que é tão difícil entender essa minha incapacidade? Eu não sei ser amada. Vejo tudo tão falso e indiferente. Fazer-me entender parece a tarefa mais difícil. Porque me entender é saber das indas e vindas e das quedas e dos levantares. É saber que o hoje é hoje e amanhã ninguém pode prever.
Eu sinto que você não leva nada disso a sério. Me dói dói dói pensar que você é mais uma das que ‘ ai, ela só tá fazendo drama’.
Você precisa entender os meus problemas. Eu não sou só eles, mas eles fazem parte de mim. Do mesmo jeito que você faz parte de mim.
Eu sei que é muito complicado. Eu entendo se for demais para você. Mas nunca mais fale que eu tenho a cabeça pequena nem que eu gosto de ser doente nem que chorar é idiotice.
POR FAVOR.

Nenhum comentário: