8 de maio de 2008

Sobre algo que senti ao chegar em casa:

Calma, amor, calma. Olha bem fundo nos meus olhos e tenta se segurar neles que só assim tu não vais cair.
Diz que tens fome, então se alimenta das minhas palavras algodão doce e dos meus suspiros caramelados.
Se não tens agora vontade de me ver, eu ficarei no canto atrás de você e juro tentar não fazer nenhum barulho. Take your time.
O meu amor por ti existe no silêncio absoluto e no barulho ensurdecedor. São demorados olhares a cada parte de teu corpo e músicas desafinadas que ouvi e lembrei-me de ti.
Não tenha pressa, coração, eu só sairei daqui contigo nos meus braços.

Um comentário:

Brenon disse...

Não, parei.
ela ta escrevendo MUITO.
Agora, me inspirou mais ainda.

Naty, você é a melhor !
PQP

desculpa o palavrão =X

hahahahahahha

Te amo ;**