18 de dezembro de 2007

Sobre o peso das palavras;

Entre eu e você existe um infinito de amores, desamores e ódio.
Entre eu e você existe tanta dor que não sei mais se vale a pena.
Existe todas as palavras que perpetuam no silêncio. O mudo do grito que nunca existiu, existe a palavra que morreu entre a língua e a boca.
As lágrimas secaram e nem mesmo assim posso me dizer feliz.
Não precisa ser pesado para ser denso, mas tudo que existe entre eu e você é tão pesado que agora ando ziguezagueando pelas ruas da cidade.
Entre eu e você existe tudo; e o tudo é nada.
Nada, querido, nada.

Nenhum comentário: