3 de novembro de 2007

Susto.

Anoiteceu e nada mudou. Cada fim de dia, cada céu escurecendo, tudo isso mexe comigo. Penso em quanto tempo não olhei para o céu. Ele sempre esteve lá, mas eu precisava olhar sempre para o chão- para evitar as pedras do caminho.
Evitar as pedras do caminho. Não é isso, enfim, que todos fazemos? Enquanto olhamos para trás e para frente; estamos sempre evitando um susto. Mas eu vi que os sustos, às vezes, são bons para nos aliviarmos do peso imenso que é uma vida toda regrada.
As regras necessitam-se, mas não podem encobrir o bom coração acelerado de um pequeno susto de.
A noite caiu pesada e eu me vi em um pequeno susto de serenidade.

Um comentário:

sadiQue disse...

Eu odeio falsidade e falsos sentimentos escritos. Logo, eu amei tudo o que li por aqui. =)