2 de novembro de 2007

Desejo.

Tenho vontade de ser sem precisar existir. Minha boca tem gosto de cigarro e meus cabelos tem o cheiro. Afogo-me em tosse todas as noites, mas não paro de fumar. Tenho preocupações que vão além do meu limite, que não há nada que eu possa fazer. Mas mesmo assim me preocupo e me consumo nessa preocupação.
Aquele café no centro é onde eu fico as tardes a espera de. Esperar é uma condição do existir, mas não quero existir- quero só ser.

Nenhum comentário: